Centro de Eventos Barra Shopping Sul


Mais de 400 pessoas participaram da primeira edição do Cenex Talks, promovido pelo Cenex – Centro de Excelência Empresarial, realizado nesta quarta-feira (18) no Centro de Eventos do Barra Shopping Sul, em Porto Alegre. O encontro reuniu quatro expoentes contemporâneos para discutir o tema “Pensamento flexível: um novo modelo para as lideranças” e aprofundar tópicos como neurociência, megatendências, cultural ágil e mundo startup.


O primeiro palestrante foi Alexandre Pellaes, CEO da EXBOSS, que se apresentou como pesquisador do futuro do trabalho. Ele destacou a evolução social do trabalho, passando pelos modelos rural, era industrial, era digital, até chegar na atual pós-digital, em que se dá mais valor ao acesso do que à posse e na qual surgem novas economias e novas formas de relacionamento humano. “Diferentemente do passado, hoje não há segredos: as pessoas têm ideias e as compartilham com o mundo na direção de um propósito comum. O que se quer é que a ideia prospere”, afirmou.


Pellaes também comentou que, em 20 anos, metade da força de trabalho humana deverá ser substituída por robôs e softwares. E esse prazo não é de espantar, já que os dez empregos mais procurados hoje não existiam há dez anos, em uma velocidade de transformação jamais vista. Outro elemento significativo da sua fala foram as tendências em gestão. Explicou que, antigamente, a ordem era primeiro os negócios, depois as pessoas, e que hoje o que funciona é um modelo de agregação, incluindo negócios, pessoas e o contexto em que a empresa está inserida. “É necessário o mesmo nível de atenção em todos esses aspectos”, concluiu. 


O segundo convidado a subir ao palco foi o sócio da Super-Humanos Consultoria, Rodrigo Giaffredo. Na sua visão, o advento da inteligência artificial vai permitir com que o ser humano retorne ao trabalho, abdicando das tarefas repetitivas e sem criatividade. Ele também avaliou os erros e acertos das empresas no processo de transformação digital.


“Muitas empresas acham que é necessário desmontar todo o negócio só por causa das tendências e também existem aquelas que não querem se rever baseadas exclusivamente no sucesso do passado”, explicou. “Contudo, o que enxergo que está funcionando, hoje, são empresas que não apenas compreendem que são bem-sucedidas, mas que consideram revisar sua cultura e seu modelo de negócios, buscando estratégias necessários para continuar sendo relevante por vários anos”.


Nesse contexto, Giaffredo enxerga que o papel dos líderes é fundamental, pois não adianta as pessoas se tornarem mais sugestivas e inovadoras, se depois esbarram em modelos rígidos, problemas de processos etc. “A melhor transformação que venho acompanhando é aquela em que, primeiro, os executivos se convencem de que a mudança é necessária em alguns aspectos e, segundo, não só repassam essa mensagem para as equipes, como também começam a agir, pois o adulto imita o que vê, não o que escuta”, observou.


Outro convidado foi o líder de inovação do Grupo Cornélio Brennand e ex-diretor executivo do CESAR (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), Sérgio Cavalcante, que compartilhou um pouco da sua experiência na implantação de processos de inovação em um grupo empresarial com mais de 100 anos de atuação no mercado brasileiro. “A inovação não tem hierarquia e as ideias e as soluções vêm de qualquer lugar. Se o chefe disser ‘não’ diante de alguma sugestão de um colaborador, acabou a inovação”, disse.


O executivo também tratou de alguns mitos que orbitam o cenário de inovação das empresas, como aquele da busca pelos unicórnios – que na sua visão consomem uma quantidade imensa de dinheiro –, e enfatizou a necessidade de as empresas incorporarem a cultura startup em algumas áreas da organização. “A transformação digital trata da forma de pensar que o digital trouxe. Esse olhar coletivo traz uma visão mais ampla da sociedade. Por outro lado, tudo isso não pode gerar ansiedade, senão se paralisia. Então é melhor ir com calma e não entrar nas modas só porque elas existem”, afirmou.

Ao final, o físico norte-americano Leonard Mlodinow transmitiu sua apresentação ao vivo em vídeo devido a problemas de saúde que o impediram de viajar ao Brasil. Em resposta à velocidade e à exponencialidade com que as transformações ocorrem no presente, Mlodinow tratou do conceito de “pensamento flexível”, caracterizado por aspectos como criatividade, receptividade ao novo e capacidade de não se prender ao convencional, assim como “a propensão a confiar tanto na imaginação quanto na lógica”. Esse seria um modelo complementar ao pensamento analítico, mais relacionado ao pensar dentro de uma estrutura pré-estabelecida.

Mlodinow destacou que o pensamento elástico abrange uma gama de processos, como neofilia (entusiasmo pela novidade), esquizotipia, imaginação, geração de ideias e pensamento divergente, e que não se destina somente a artistas e escritores, mas a todas as profissões. É também um ativo que pode ser aperfeiçoado. “Todos nós precisamos resolver problemas se quisermos sobreviver ou prosperar no mundo em mudança de hoje”, disse. “Felizmente, é uma habilidade incorporada ao cérebro humano”.


O cientista afirmou que o pensamento humano pode ser definido em um espectro. “O pensamento analítico é realmente bom quando você está tentando resolver um problema que já viu antes. O pensamento elástico é o que você precisa quando as circunstâncias mudam e você está lidando com algo novo. Não se trata de seguir regras”, afirmou.

A sensação que fica desta primeira edição do CENEX Talks é de missão cumprida. Porém, sua opinião é extremamente importante para nos desenvolvermos para 2020. Se você esteve conosco na tarde do último dia 18 de setembro, compartilhe conosco o seu feedback sobre o evento. Sua contribuição nos impulsiona a fazermos melhor sempre.


Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Categorias

SKILLˣ IN MINUTES

Play
Play
Play
Play
Play
Play
Play
Play
Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

PODCAST SKILLˣ

SkillX in PodCast by CENEX.
Este é um canal de relacionamento do CENEX - Centro de Excelência Empresarial. Aqui você terá acesso a temas como liderança, desenvolvimento pessoal e profissional, gestão, inovação, inteligência emocional, mentoria, pensamentos e ideias disruptivas e muito mais. Publicações quinzenais.
Pensamento Elástico - Parte 2 - Desenvolvimento
by CENEX Centro de Excelência Emp

Então, após ouvirmos o Amorim falando da velocidade das mudanças, chegamos ao episódio onde ele abordará o que consiste o Pensamento Elástico ou Flexível, e alguns exemplos de como podemos desenvolvê-lo.

Pensamento Elástico - Parte 2 - Desenvolvimento
Pensamento Elástico - Parte 1 - Contexto
Boas Vindas ao SkillX in PodCast